Cabeça e Pescoço

As cirurgias de cabeça e pescoço, por vezes, são de grande porte, e envolvem a ressecção de ossos e vários tecidos moles como, pele, vasos, músculos e nervos. A face é amplamente acometida no pós-operatório, devendo ser motivo de atenção fisioterapêutica.

Trismo – é a dificuldade em abrir a boca. Cirurgias e radioterapia podem levar a essa condição.

Paralisia Facial – Pode ocorrer secundariamente à manipulação cirúrgica do nervo facial. O tratamento tem bons resultados se não houver lesão total do nervo.

Edema ou linfedema de face – Pode ocorrer devido à retirada de gânglios e vasos ou devido à compressão mecânica tecidual que obstrui o fluxo linfático.

Síndrome do ombro doloroso – É a dificuldade em levantar e abrir o braço devido à paralisia do músculo trapézio, que poderá vir acompanhada de instabilidade da escápula e dor; isso ocorre devido à lesão do nervo acessório.

Tratamento

O tratamento fisioterapêutico consiste em cinesioterapia (exercícios), massoterapia, técnicas específicas de manipulação tecidual e articular, crioterapia (gelo), eletroterapia, estimulação sensorial, acupuntura, kinesiotaping e linfotaping (uso de ataduras elásticas adesivas).

Kinesiotaping
Eletroestimulação facial
Acupuntura facial
Eletroacupuntura facial
FisioOnco - Reabilitação Oncológica e Linfedema
Rua Joaquim Távora, 303 - Vila Mariana / Cep 04015-000 - São Paulo - SP - Tel.: (11) 3255-4727